Flamengo e Vasco dão recorde de audiência ao Campeonato Brasileiro no RJ · Notícia · Máquina do Esporte

Mais da metade dos aparelhos de TV ligados no Rio de Janeiro estavam sintonizados na vitória vascaína sobre o Flamengo por 2 a 1

Donos das melhores audiências do ano na TV aberta, Flamengo e Vasco fizeram no último domingo mais um confronto com números recordes. A vitória vascaína por 2×1 decretou o Ibope mais alto do Campeonato Brasileiro no Rio de Janeiro, com 29 pontos de média.
 
Desse número, 26 pontos foram registrados pela Globo, e os outros três restantes pela Band. O share também foi o mais alto da temporada: 59%, o que significa que mais da metade dos aparelhos de TV ligados estavam sintonizados no jogo.
 
Vasco e Flamengo são os líderes absolutos de audiência no Brasil em 2015. O empate no último minuto que classificou o time de São Januário para as quartas-de-final da Copa do Brasil, em agosto, foi o jogo mais visto do ano na TV brasileira, com média de 41 pontos e participação 64%, recorde absoluto da temporada.
 
O jogo de ida, disputado na semana passada, era o detentor do pico de audiência do ano: 34 pontos de média. Flamengo e Vasco fecham o pódio do Ibope em 2015 com os 33 pontos registrados na semifinal do Campeonato Carioca, em abril.
 
Em São Paulo, a vitória do Corinthians sobre o Figueirense por 3 a 1 marcou 23 pontos, sendo 18 na Globo e cinco na Band.
 
Cada ponto no Ibope equivale a 67.113 domicílios sintonizados em São Paulo e 42.292 no Rio de Janeiro, ambos apenas nas regiões metropolitanas, referências para o mercado publicitário.

Fonte: Flamengo e Vasco dão recorde de audiência ao Campeonato Brasileiro no RJ · Notícia · Máquina do Esporte

Câmara aprova pena maior para quem matar dirigindo alcoolizado

Agência Brasil

O plenário da Câmara aprovou, hoje (23), o projeto de lei que aumenta a pena para o motorista que, dirigindo sob efeito de álcool ou drogas, cometer homicídio culposo. Pelo projeto, a pena de dois a quatro anos de prisão passa para quatro a oito anos.

De acordo com o texto, no caso da ocorrência de lesão corporal grave ou gravíssima, a pena será de reclusão de dois a cinco anos. Além da definição de racha como disputa, corrida ou competição não autorizada, o projeto inclui no conceito exibição ou demonstração de perícia no veículo automotor sem autorização.

De autoria da deputada Gorete Pereira (PR-CE), a matéria vai agora para a apreciação do Senado.

Câmara aprova pena maior para quem matar dirigindo alcoolizado | Agência Brasil

PF quer ouvir Lula, Operador do PMDB vira delator e Oposição cria movimento pró-impeachment

Para a Polícia Federal, as investigações da Lava Jato deixam claro que se trata de “um esquema de poder político alimentado com vultuosos recursos da maior empresa do Brasil”.

Diante de tais suspeitas, a PF elencou a lista de pessoas do “primeiro escalão” que deveriam ser ouvidas. Lula está lá, embora não tenha mais foro privilegiado. A PF não explica por que pediu ao Supremo a tomada do depoimento – e não à primeira instância.

O pedido ainda será analisado pela Procuradoria-Geral da República. Pelas regras em vigor no STF, os pedidos da PF só são avaliados pelo ministro relator dos casos da Lava Jato, Teori Zavascki, depois de uma manifestação formal do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Para justificar o pedido, enviado ao ministro Teori Zavascki na última quarta (09/09), o delegado Josélio Azevedo de Sousa diz que o petista “pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na Petrobras”.

“Atenta ao aspecto político dos acontecimentos, a presente investigação não pode se furtar de trazer à luz da apuração dos fatos a pessoa do então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que, na condição de mandatário máximo do país, pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na Petrobras, obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidária sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”, diz o pedido.

O documento ainda complementa: “Neste cenário fático, faz-se necessário trazer aos autos as declarações do então mandatário maior da nação, Luiz Inácio Lula da Silva, a fim de que apresente a sua versão para os fatos investigados, que atingem o núcleo político-partidário de seu governo”.

O Instituto Lula afirmou, na tarde desta sexta-feira (11), que até o momento não tem conhecimento do relatório entregue pela Polícia Federal ao Supremo Tribunal Federal pedindo que o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, seja ouvido em inquérito pela Operação Lava Jato no STF, em função de seu foro privilegiado. Lula está a trabalho na Argentina e ainda não teve acesso ao documento.

No documento, são mencionados depoimentos de dois delatores da Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. O delegado diz que ambos fazem menções ao ex-presidente Lula. “Os delatores presumem que o ex-presidente tivesse conhecimento do esquema, mas não dispõem de elementos concretos para a participação dele”, diz o texto.

O delegado Josélio Azevedo de Sousa, que assina o pedido, admite não ter provas diretas que apontam favorecimento do petista no esquema de corrupção da Petrobras.

Mesmo assim, acredita que a investigação “não pode se furtar à luz da apuração dos fatos” se Lula foi ou não beneficiado, “obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidário sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”.
PF diz não ter provas, mas pede para ouvir Lula | Brasil 24/7

Polícia Federal pede para interrogar o ex-presidente Lula | EXAME.com